segunda-feira, setembro 25, 2006

CAMINHEI

Rua José António de Freitas Gonçalves, Poeta, Jornalista e Escritor.
Caminhei na rua ao teu encontro…
Não encontrei! Talvez direi que a amizade…
Não se encontra… Se conquista!?...
Nas sombras do que já foi em vida.

Nas Ruas que já foram…
Nas noites erguidas em trevas
Nos passos percorridos em deslumbramento
De Vida, de chuva, de Sol e de Vento…

E pergunto?
Que é feito de ti ó Poeta!?...
Que da tua existência só alega
No topónimo que ali sossega!!!

A tua Rua nascida e os edifícios a crescer…
E tu, partiste da vida, alheado a tudo isso.
Porque os que aqui ficaram
Não te esqueceram, te lembraram!

Mateus Gouveia
25/09/2006

7 Comments:

Blogger Emilia said...

Grande poeta, o José António Gonçalves. Partiu cedo desta vida, não da nossa lembrança.A rua não é a que ele merece...

segunda-feira, setembro 25, 2006 5:44:00 da tarde  
Blogger Emilia said...

Desculpa a minha deformação profissional mas ... no teu relógio, à direita no blogue, fica melhor Madeira Island Time ...
Um abraço

segunda-feira, setembro 25, 2006 5:56:00 da tarde  
Anonymous ana s said...

Bonito poema mas um bocadinho triste. Acho que devemos homenagear as pessoas enquanto são vivas porque depois de mortas não estão cá para ver. Mesmo assim é bom prestar a devida homenagem a quem a merece. beijos

segunda-feira, setembro 25, 2006 6:27:00 da tarde  
Anonymous soslayo said...

Emília:

A deformação é minha, por esquecimento da matéria e vinda a sugestão duma doctora do Liceu do Funchal vou lá já fazer a rectificação. Subscrevo na íntegra essa tua opinião de que não é a Rua que ele merece... pelo Poeta de foi e a escrita que deixou, pelo humanista que era, amigo do seu amigo desinteressadamente, pelo Jornalista e Escritor! Ainda dou mais uma achega... lá deveríam ter colocado antes da data de nascimento e do seu falecimento a seguinte nota: Poeta, Jornalista e Escritor, porque assim algumas pessoas nem vão saber quem foi José António de Freitas Gonçalves! Obrigado Emília e com um beijinho.

segunda-feira, setembro 25, 2006 6:58:00 da tarde  
Blogger Um Poema said...

Não conheço a rua, nem se consegue antever o seu aspecto final, removidos que sejam os tapumes. Ainda assim, não me parece que, seja qual for esse aspecto final, o poeta merecesse, apenas, destaque tão reduzido.
Um abraço

segunda-feira, setembro 25, 2006 8:56:00 da tarde  
Anonymous Eu... said...

Vim te ver e te dizer que gosto muito de tua varanda... Tanto quanto gosto de tua rua, doce poeta...

Beijo...

segunda-feira, setembro 25, 2006 10:16:00 da tarde  
Anonymous maria said...

ja a algum tempo nao vinha ate aqui mas continua um cantinho em que a musica e as palavras convidam a entrar.
Fez um aninho o meu blog e como tal dei de presente um novo visual ...convido-te a visitar

jokinhasss

segunda-feira, setembro 25, 2006 11:03:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home





contador