terça-feira, junho 03, 2008

FOLHA CAÍDA


Parto assim que souber de ti
Nessa folha primaveril caída
Amarelada pelo tempo de espera
Das quimeras embevecidas e constrangedoras!

Passo o limite do espaço sem fim
Ocupado por sombras que parece aparecer
Não parecendo aquilo que deveria ser
Sendo tudo o que se quer na imaginação doída!

Repasto-me e contorço-me na solidez do óbvio
A vida nos dá o que não queremos
Nesse compasso de espera perdido!

Perdido ou não seguro
Encontros e desencontros
É vida, ávida que assim perdura!

Mateus Gouveia
03/06/08

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous delta said...

A vida é uma caixinha de surpresas...é isso tudo e muito mais e, por vezes, não estamos preparados para enfrentar determinadas dificuldades. Mas não podemos viver só de desilusões. Devemos lutar pelos nossos objetivos, pois a vida só é vencida assim...não podemos baixar a cabeça e nem nos aflingirmos por qualquer circunstância, a vida é para ser vivida... a cada dia, a cada momento... Devemos sonhar?...Claro que sim!!! Devemos lutar?... Sempre!!! E é sonhando que as coisas acontecem... e se realizam, porque se não idealizamos o que queremos ser,os nossos desejos, jamais poderão acontecer.

Uma boa 4ª feira e um beijinho para ti.

:)

quarta-feira, junho 04, 2008 9:26:00 da manhã  
Blogger O Profeta said...

Teus olhos são sóis adormecidos
Perdidos no profundo da noite
Luzeiros na procura da aurora
Que viajam sem rumo ou norte

Procuram a ironia do tempo
Os gritos que um rosto apregoa
Uma taça de ouro frio
O tempo que uma alma magoa


Boa semana

Abraço

quarta-feira, junho 04, 2008 11:16:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home





contador