quarta-feira, novembro 16, 2005

CALÇADA DE CARRICHE


A foto é do meu amigo Platero - Click Portugal

E esta é uma homenagem ao grande poeta português Rómulo de Carvalho (António Gedeão).

Vamos postar por partes atendendo que é extenso.

Luísa sobe,
sobe a calçada,
sobe e não pode
que vai cansada.
Sobe, Luísa,
Luísa, sobe,
sobe que sobe
sobe a calçada.
Saiu de casa
de madrugada;
regressa a casa
é já noite fechada.
Na mão grosseira,
de pele queimada,
leva a lancheira
desengonçada.
Anda, Luísa,
Luísa, sobe,
sobe que sobe,
sobe a calçada.

Luísa é nova,
desenxovalhada,
tem perna gorda,
bem torneada.
Ferve-lhe o sangue
de afogueada;
saltam-lhe os peitos
na caminhada.
Anda, Luísa.
Luísa, sobe,
sobe que sobe,
sobe a calçada.

Passam magalas,
rapaziada,
palpam-lhe as coxas
não dá por nada.
Anda, Luísa,
Luísa, sobe,
sobe que sobe,
sobe a calçada.

Chegou a casa
não disse nada.
Pegou na filha,
deu-lhe a mamada;
bebeu a sopa
numa golada;(...)

8 Comments:

Anonymous Pozinhos de Perlimpimpim said...

É assim a vidinha das mães, mulheres cheias de força e de amor para dar...Beijos Mágicos

quarta-feira, novembro 16, 2005 10:23:00 da manhã  
Anonymous ana said...

Quando vejo sempre este poema não consigo deixar de lembrar-me da "camarada" Odetes Santos ao declamá-lo no Herman Sic. É a luta incansável de tantas mães que existem neste mundo. Beijinhos

quarta-feira, novembro 16, 2005 10:37:00 da manhã  
Anonymous soslayo said...

Pózinhos de Perlimpimpim e Ana, adoro este poema que é um retrato fiel ainda de muitos milhões de mulheres cada uma à sua maneira, correndo desta forma!

quarta-feira, novembro 16, 2005 10:52:00 da manhã  
Anonymous soslayo said...

Voltei só para dizer que isto é também uma homenagem à Mulher. Esse ser que parecendo frágil, não é mais do que uma Muralha de aço.

quarta-feira, novembro 16, 2005 11:08:00 da manhã  
Blogger JSilvio said...

O poema tem a sua piada ;)
Vou mudar o teu endereço no meu blog...que este dure mais tempo =)
um abraço

quarta-feira, novembro 16, 2005 11:18:00 da manhã  
Anonymous soslayo said...

Sílvio, espero bem que sim. Não vá as pessoas pensarem que fiz de propósito! Aliás, pelos apelos que fiz a ver se alguém me ajudava já dava a perceber que estava realmente atrapalhado. Um abraço.

quarta-feira, novembro 16, 2005 3:03:00 da tarde  
Blogger Platero said...

Gostei do poema a acompanhar a minha foto, obrigado.

Já mudei o teu endereço,nos meus favoritos.

Um abraço

quarta-feira, novembro 16, 2005 3:34:00 da tarde  
Anonymous Maria Papoila said...

A foto é lindíssima e o poema é do António Gedeão! Bela homenagem!

quarta-feira, novembro 16, 2005 8:39:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home





contador